Os sonhos

Posted on Posted in Conhecer o cérebro

Os sonhos

sonhosOs sonhos são experiências ou vivências que ocorrem durante o período de sono REM.

Nos últimos anos, estudos de neuroimagem funcional têm sido efetuados na tentativa de compreender o substrato neuroanatómico dos sonhos.

A compreensão dos sonhos tem fascinado o Homem desde há muito tempo.
A tentativa de explicar os conteúdos dos sonhos despertou o interesse de muitos cientistas.
Em 1990, Sigmund Freud publicou a polémica “A Interpretação dos Sonhos”.  À interpretação de Freud, seguiu-se Carl Gustav Jung e Bion.
O sonho é um estado de consciência caraterizado por experiências sensoriais (geradas internamente), emocionais e cognitivas, que ocorrem durante o sono.

Existem muitos registos de sonhos, com experiências complexas, emocionais e de perceção sensorial, ao acordar do sono REM.

Estudos de neuroimagem têm demostrado que o sono REM é caraterizado por um padrão específico de atividade cerebral regional. A distribuição heterogénea da atividade cerebral durante o sono explica caraterísticas típicas que ocorrem nos sonhos. A constatação por neuroimagem da atividade cerebral no sono e nos sonhos serve de suporte neurobiológico para algumas funções importantes como a regulação das emoções.

O padrão particular de ativação cerebral durante o sono REM, demostrado por exames de neuromiagem funcional, parece correlacionar-se com os conteúdos dos sonhos: conteúdos de perceção multissensorial, bases emocionais profundas e, a sua singulariedade/extravagância.

Assim, os aspetos de perceção estão relacionados com ativação cortical posterior, temporal e occipital. Os componentes emocionais estariam relacionados com a amígdala (e suas conexões), córtex fronto-orbital (lóbulo pré-frontal) e córtex cingulado anterior. O conteúdo de memória frequente nos sonhos deverá estar relacionado com a ativação de áreas cerebrais mesio-temporais. Por outro lado, a hipoativação relativa do córtex pré-frontal explicaria a alteração nas funções executivas (nomeadamente memória de trabalho, raciocínio) e memória episódica nos registos dos sonhos, ao acordar do sono REM. (Maquet P et al, 2004)

Também são conhecidas alterações cerebrais que ocorrem quando “saímos” do sonho e acordamos, regressando a um estado normal de consciência, distinguindo a fantasia da realidade.

A complexidade dos sonhos continua a ser estudada por neuroimagem na tentativa de estabelecer o substrato neural, atendendo à conectividade de redes neuronais.

 

 

Leave a Reply