O sono e o envelhecimento

Posted on Posted in Conhecer o cérebro, Hábitos de vida

O sono e o envelhecimento 

Sono e envelhecimentoO envelhecimento está associado a uma redução do tempo de sono e a uma degradação da qualidade do sono. 

Nos idosos são frequentes alterações do sono associadas a alterações de humor – é importante identificar estas situações e considerar intervenção.

O envelhecimento está associado a alterações do sono, logo, também aos processos regulados pelo sono (circadianos e homeopáticos).

A arquitetura do sono começa a alterar-se na meia idade, levando a uma diminuição acentuada do estadio mais profundo de sono NREM à medida que o envelhecimento progride.

No envelhecimento habitual, saudável, ocorre uma diminuição da qualidade do sono, com menor duração do sono.

O idoso tem mais períodos transitórios de vigília.

Com o avançar da idade tende a ocorrer uma diminuição fisiológica do tempo de sono, com redução da duração do seu estado mais profundo (sono de ondas lentas – sono NREM).
Estas alterações estão relacionadas com alterações neuroanatómicas e neurofisiológicas nos mais idosos.

A alteração da qualidade se sono com o envelhecimento pode ter consequências metabólicas e endócrinas. Todos os ritmos endócrinos com 24 horas de duração (incluindo os de cortisol e de hormona de crescimento) refletem parcialmente a interação dos ritmos circadianos e da homeostasia do ciclo vigília-sono.

A diminuição do tempo de sono e, em particular diminuição do sono NREM, têm influencia nas capacidades cognitivas dos indivíduos. Por exemplo, a alteração do padrão do sono que ocorre com o envelhecimento interfere com a capacidade de consolidar a memória (Varga A.W. et al, 2016).

A deterioração cognitiva deverá contribuir para défices cognitivos associados ao envelhecimento e, também, para maior risco de desenvolvimento de doenças neurodegenerativas.
Sabe-se que durante o sono ocorre a drenagem de substâncias potencialmente tóxicas, que se acumulam durante a vigília. Por exemplo, a concentração de proteína β-amilóide (que aumenta com o avançar da idade) aumenta no espaço intersticial durante a vigília, podendo ser eliminada durante o sono.

Perturbações do sono

A insónia é uma perturbação do sono frequente, com diversas causas.

Nos doentes idosos são frequentes queixas de dificuldades do sono.
A insónia é mais prevalente em idosos, estando frequentemente associadas a ansiedade e alterações do humor.
É importante identificar estas situações (alterações do sono e humor) e considerar intervenção.

Com a idade, surgem alguns problemas de saúde associados a dificuldades do sono. É muitas vezes difícil distinguir problemas de sono secundários a problemas de saúde subjacentes ou efeitos de medicamentos usados para tratar doenças do sono primárias.

A intervenção farmacológica e/ou comportamental pode melhorar o sono nos idosos, com implicações cognitivas e funcionais.

Leave a Reply