O líquido cefalorraquidiano

O líquido cefalorraquidiano

Posted on Posted in Conhecer o cérebro

O líquido cefalorraquidiano

O líquido cefalorraquidianoO líquido cefalorraquidiano (LCR) é um ultrafiltrado de plasma sanguíneo, habitualmente claro e estéril, principalmente produzido pelos plexos coróides nos ventrículos cerebrais e nos capilares sanguíneos. O volume total de LCR num adulto é aproximadamente 125 a 150 ml, do qual 30 ml (em 150) está no espaço subaracnoideu espinhal.

 

 

 

 

 

 

O fluxo de líquido cefalorraquidiano é contínuo ao longo do dia, sendo renovado 3 a 5 x durante 24 horas.
É produzido cerca de 500 ml de LCR/dia, o que corresponde a um fluxo de 20 ml/hora.

O fluxo de LCR tem de ser regulado para prevenir excesso de pressão de LCR no tecido cerebral.

A pulsatilidade habitual do líquido cefalorraquidiano reflete a pulsatilidade cerebral devida a alterações no volume arterial e venoso cerebral, respiração e movimentos da cabeça.

As principais funções do líquido cefalorraquidiano são:

  • física (compensação perante alterações de volume, igualando a pressão intracraniana, quando ocorrem alterações de pressão sanguínea arterial e venosa);
  • metabólica (transporte de nutrientes e hormonas para o cérebro, eliminação de algumas substâncias).


Fluxo de LCR

Fluxo/circulação de líquido cefalorraquidiano

Tradicionalmente, o LCR é produzido nos plexos coróides dos ventrículos cerebrais, passando através dos foramina de Magendie e Lushka para o aqueduto cerebral (aqueduto de Sylvius) e alcançando a cisterna da base; daí, move-se superiormente para os espaços subaracnoideus da convexidade cerebral, sendo depois absorvido nas granulações aracnoideias (ou vilosidades) nos seios venosos (exemplo, no seio sagital superior).

Os plexos coroides são revestimentos endoteliais dos ventrículos, altamente vascularizados. Na circulação cerebral, o fluxo sanguíneo médio é de aproximadamente 0.5 mL/min/g de tecido cerebral. O fluxo sanguíneo nos plexos coroideus é cerca de 10 x mais elevado.

Existe uma relação significativa entre o LCR e o líquido intersticial (LI).

O líquido intersticial é produzido pelas células endoteliais da barreira hemato-encefálica nos plexos coroides. O liquido intersticial transformado é bombeado para o espaço subaracnoideu, tal como o LCR ao longo das membranas pialglial.

O líquido cefalorraquidiano e o líquido intersticial são principalmente produzidos e absorvidos nos capilares parênquimatosos do cérebro e da medula espinhal.

Uma quantidade significativa do LCR e LI é absorvida pelo sistema linfático.

O movimento do LCR não é um fluxo unidirecional.

Quando o espaço subaracnoideu (cavidade entre a aracnoide e a piamáter ao longo do cérebro e medula espinhal) está preenchido com LCR, permite ao cérebro flutuar no interior do crânio.


 

Leave a Reply