desenvolvimento cerebral

Desenvolvimento cerebral

Posted on Posted in Conhecer o cérebro, Neurodesenvolvimento

Desenvolvimento cerebral

desenvolvimento cerebral

O desenvolvimento cerebral adequado é condicionado por vários fatores ou processos.

Conhecer o desenvolvimento cerebral precoce é de grande importância clínica, dado que muitas doenças neurológicas e psiquiátricas têm a sua origem na organização e maturação cerebral precoce, estrutural e funcional. Os avanços da imagiologia cerebral neonatal têm contribuido para a compreensão das doenças cerebrais no período neonatal.

 

 

O desenvolvimento cerebral no feto, recém-nascido e criança não inclui apenas sistemas sensitivos (experiências multissensoriais), mas sistemas motores, sistemas sócio-emocionais e cognitivos. Estes sistemas são conectados e integrados durante o desenvolvimento.

O desenvolvimento cerebral, estrutural e funcional, é moldado pela influência de alguns processos ou fatores principais:
– base genética e efeitos epigenéticos do ambiente;
– atividade cerebral interna ou endógena e o sono;
– experiências externas e estimulação dos orgãos dos sentidos;
– fatores emocionais.
Estes fatores influenciam assim o desenvolvimento cerebral, e os seus efeitos dependem da idade e nível de desenvolvimento dum sistema particular. Por exemplo, as experiências sensoriais vão sendo progressivas nas diferentes modalidades e diferem entre elas (por exemplo, o sistema visual é a última modalidade a desenvolver-se).

A “impressão digital” básica do cérebro humano é geneticamente determinada. Mas, precocemente no desenvolvimento cerebral existe a influência do ambiente, e vários estímulos provenientes do meio vão modificando o cérebro.
Estas influências ocorrem desde a vida intra-uterina, continuam ao longo da vida.

Estimulação sensorial e ambiente

O ambiente natural fornece um fluxo de estimulação concorrente de todas as modalidades de sentidos.
A experiência sensorial inicia-se na vida intra-uterina mas é limitada. O desenvolvimento da perceção multissensorial vai sendo progressivo.
Os recém-nascidos possuem mecanismos de perceção multissensoriais rudimentares, que apenas lhes permitem perceber a coerência multisensorial com base em pistas perceptivas de baixo nível.
As crianças “entram” no mundo com a capacidade de perceber certas formas de coerência multissensorial.
Como exemplos: Os recém-nascidos podem aprender a associar objetos e sons arbitrários, podem perceber a equivalência audio-visual com base na intensidade, e respondem de forma diferente ao estímulo visual (dependendo se estimulação auditiva precede ou não). Os recém-nascidos pode aprender o rosto da mãe, quando é acompanhado pela sua voz. Podem perceber as associações face-voz com base na sua co-ocorrência temporal.

Muitos dos processos e estímulos necessários para facilitar o desenvolvimento cerebral podem ter efeitos adversos, se a exposição ocorre na altura errada do desenvolvimento ou se o nível de intensidade não é adequado.


O sono

O sono e os seus ciclos são essenciais para o desenvolvimento dos sistemas motores e neurosensoriais no feto e no recem-nascido.
São fundamentais para o desenvolvimento neurosensorial precoce.
São essenciais para a criação de circuitos de memória.
São fulcrais para a manutenção da plasticidade cerebral ao longo da vida de um indivíduo.

 

Maturação cerebral e especialização hemisférica

A compreensão básica da cronologia e direção da mielinização e maturação do sistema nervoso central, do tronco cerebral para os hemisférios cerebrais, fornece dados clinicamente relevantes.
A maturação cerebral acompanha a diferenciação funcional dos dois hemisférios cerebrais. As funções cerebrais vão se adquirindo de forma paralela com a maturação cerebral. Isto é, à medida que o cérebro da criança se desenvolve, cada hemisfério cerebral vai tendo funções específicas.
Ao nascimento, o cérebro humano ainda não assumiu as funções para as quais está especializado.
A assimetria cerebral tem sido considerada um “indicador” de maturação cerebral.
Assim, pode considerar-se que a criança pequena tem uma potencialidade funcional equivalente entre os hemisférios cerebrais, e que com a idade e o desenvolvimento progressivo surgiria a “especialização hemisférica.”
A lateralização hemisférica ocorre muito precocemente para determinadas funções cerebrais. 
Gradualmente, o hemisfério esquerdo vai tendo mais capacidades linguísticas e motoras, enquanto o hemisfério direito apresenta maiores capacidades visuoespaciais.

 

 

Leave a Reply